OK We use cookies to enhance your visit to our site and to bring you advertisements that might interest you. Read our Privacy and Cookies policies to find out more.

News Brazil

Para alguns pacientes crianças com deficiência, visitar o dentista é agora algo que eles podem esperar desde a introdução de terapias assistida por animais. (Foto: Fornecido pela Universidad de los Andes)
0 Comments Aug 25, 2017 | News Brazil

Entrevista: "Terapia Assistida por Animais reduz os níveis de estresse"

Post a comment by Lucas Gribble, DTI

SANTIAGO, Chile: Depois de receber um aumento dos pedidos de tratamentos dentários para crianças com deficiência, a Universidad de los Andes, Santiago, Chile, decidiu introduzir a terapia assistida por animais em sua prática. O Dental Tribune Online falou com a Dra. Andrea Ormeño, Diretora de Cuidados dos Pacientes com Diploma em Deficiência pela Faculdade de Odontologia para saber como é que este novo método de tratamento, que adota o serviço de cães especialmente treinados, está ajudando a melhorar a higiene dentária de alguns dos seus pacientes mais jovens.

Ajudandar a melhorar a experiência do paciente na prática tem sido sempre importante, mas quando você decidiu introduzir este método como um meio para ajudar no tratamento de crianças?
Há cerca de cinco anos, decidimos tentar terapia assistida por animais (AAT), principalmente devido ao aumento da procura de tratamento odontológico para crianças com deficiência. Uma vez que este estilo de trabalho é orientado para as crianças e suas famílias numa prática odontológica regular, ajuda a promover o interesse da família em voltar para exames regulares, que em última análise otimiza o cuidado do paciente e a experiência.

Quais os pacientes que tiveram maior sucesso com a utilização deste método e como melhorou sua experiência?
O maior sucesso que vimos foi de pacientes crianças com síndrome de Down e distúrbio do espectro autista. Cada tratamento é também enriquecido com a participação de uma equipe multidisciplinar que cuida do paciente de uma forma abrangente. Vimos que a AAT melhora a interação social e comunicação e reduz os níveis de estresse no paciente. Ele também tem transformado a experiência traumática de uma visita ao dentista em algo desejado pelos pacientes.

Qual é o procedimento habitual quando usam AAT, e de que forma tem sido mais útil para o seu dentista?
Em primeiro lugar, perguntamos a família da criança se estariam interessados em experimentar a terapia. Se estiverem de acordo, perguntamos então ao paciente, antes de ter um termo de consentimento assinado pelos pais ou responsável. A partir daí, o paciente vai para um espaço de união onde o cão, o treinador e o dentista estão para conhecer uns aos outros. Isso é para avaliar a interação entre todas as partes envolvidas e é feito numa base caso a caso, antes de tomar uma decisão sobre a possibilidade de mudar de AAT na cadeira do dentista. A terapia provou ser muito valiosa devido à ligação emocional que o paciente tem com o animal acalmando assim ele ou ela e com isso permitindo que o dentista realize o seu trabalho em um ambiente menos estressante.

Devido à requisitos de esterilização para a prática odontológica, como as coisas funcionam quando usado o cão treinado para ajudar com tratamentos e existe uma avaliação permanente do desempenho do animal?
Protocolos sanitários exigem que cada animal deve ser verificado por um médico veterinário, receber todas as vacinações e ser considerado completamente saudável. Antes do cão ir para a prática, ele ou ela recebe um banho de higiene e um checkup geral e durante um tratamento, o formador é a única pessoa autorizada a manipulação do animal. Todos os cães que participam na prática foram seleccionados especialmente para este trabalho e são continuamente avaliados sobre como eles executam durante as diferentes terapias em que eles participam.

Quanto custo AAT?
O custo por hora é de cerca de US$ 75 e inclui o treinador e o cão. Todos os outros custos são como de costume, pois continuamos a utilizar uma cadeira regular e instrumentos para o tratamento propriamente dito.

Como tem sido a reacão dos pais e você recomendaria para outros dentistas introduzir este método em suas próprias práticas?
A mãe de um menino com distúrbio do espectro autista disse que pensou que seu filho nunca seria capaz de manter a calma suficiente durante uma visita ao dentista. A primeira vez que procurou atendimento odontológico foi um completo caos. No entanto, agora, depois de algumas sessões de AAT, seu filho é capaz de ir para a prática e sentar durante um tratamento inteiro. Devido a tais resultados, a terapia forneceu uma opção real para o tratamento de crianças com deficiência, e uma vez que têm todos os equipamentos e equipe de profissionais disponíveis para utilização na prática de forma segura, eu recomendaria.

Related Content
Post a comment Print  |  Send to a friend
0 Comments
Join the Discussion
All comments are subject to approval before appearing. Submit Comment