OK We use cookies to enhance your visit to our site and to bring you advertisements that might interest you. Read our Privacy and Cookies policies to find out more.

News Brazil

Quando usado adequadamente, óxido nitroso pode ser um meio seguro e eficaz de gerenciamento de dor e ansiedade em odontologia. (Foto: Marius Pirvu/Shutterstock)
0 Comments Aug 29, 2017 | News Brazil

Uma em cada duas clínicas não verifica vazamentos de óxido nitroso

Post a comment by Dental Tribune International

WASHINGTON, EUA: Apesar de clínicas de odontologia nos EUA geralmente usarem um sistema de ventilação para minimizar a exposição ao óxido nitroso, muitos não executam as etapas de controle recomendadas – tais como a verificação de vazamento de equipamentos – quando executam procedimentos odontológicos. Para investigar em que medida esses controles de exposição são usados, o Instituto Nacional para a Segurança e Saúde Ocupacional (NIOSH- sigla em inglês) realizou uma pesquisa entre os membros de organizações profissionais que representam os dentistas, higienistas e assistentes dentários.

A pesquisa anônima do NIOSH completada por 284 dentistas em clínicas privadas que tinham usado o óxido nitroso em adultos ou crianças na semana anterior. O uso de capa nasal de limpeza ou exaustão de ventilação local (LEV) ao redor da boca de um paciente quando usando o óxido nitroso foi quase universal, com mais de 93 por cento dos inquiridos que empregam este equipamento.

No entanto, a adesão a outras práticas de precaução preconizadas foi o que faltou em graus variáveis. Cinquenta e um por cento relataram que não verificaram se há vazamentos antes de utilizar o gás em pacientes adultos e 47 por cento não verificaram antes de um procedimento em pacientes pediátricos. Outros achados foram que 13 por cento dos profissionais começou o fluxo de gás óxido nitroso antes colocar uma máscara de vias aéreas tivesse no paciente e que 8 por cento falharam para desligar o fluxo de gás óxido nitroso antes de desligar o fluxo de oxigênio para o paciente.

Além disso, 13 por cento das clínicas de odontologia não têm procedimentos padronizados para minimizar a exposição de óxido nitroso e 3 por cento reportaram uma falta de formação sobre o manuseio e a administração de óxido nitroso.

"Gestão bem sucedida de óxido nitroso deve incluir as máscaras de lavagem nasal, complementar LEV se necessário, adequada ventilação geral a inspecção regular da entrega do óxido nitroso e exaustão de equipamentos para vazamentos, disponibilidade de procedimentos padrão para minimizar a exposição, treinamento periódico e a vigilância médica", declarou a NIOSH.

O estudo intitulado "Práticas de controle de exposição para a administração de óxido nitroso: Uma pesquisa de dentistas, higienistas e assistentes dentários", foi publicado na edição de junho do Journal of Occupational and Environmental Hygiene.

Post a comment Print  |  Send to a friend
0 Comments
Join the Discussion
All comments are subject to approval before appearing. Submit Comment